Alunos aprendem compostagem nas escolas de Apucarana

A atividade faz parte do projeto de conscientização ambiental “Sementes do Futuro” e é desenvolvida em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente

{"autoplay":"false","autoplay_speed":"3000","speed":"300","arrows":"true","dots":"true"}

O Dia Mundial do Meio Ambiente e o Dia Nacional da Reciclagem são celebrados anualmente no dia 5 de junho. E, na rede municipal de ensino de Apucarana, os alunos têm atividades pertinentes ao tema. “Nas escolas e nos Centros Municipais de Educação Infantil, as crianças aprendem desde cedo que precisam ter hábitos sustentáveis se quiserem garantir a disponibilidade de recursos naturais no futuro”, assinala a secretária de educação, Marli Fernandes.

Por meio do projeto “Sementes do Futuro”, criado em 2014, temas como o consumo consciente de água, a separação correta do lixo, o cultivo de jardins e hortas domiciliares, o reflorestamento e o combate à proliferação do mosquito Aedes aegypti são trabalhados com as 12 mil crianças matriculadas nos 24 centros infantis (CMEIs) e 36 escolas.

Recentemente, a Autarquia Municipal de Educação e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente ainda firmaram uma parceria com o objetivo de ensinar técnicas de compostagem aos estudantes. Todas as escolas foram equipadas com recipientes apropriados para a decomposição dos resíduos orgânicos e os professores do 5º ano e coordenadores passaram por capacitação.

“A ideia é diminuir a quantidade do lixo produzido no ambiente escolar, aproveitando as sobras dos alimentos consumidos pelos alunos durante as refeições para produzir o adubo utilizado nas hortas pedagógicas”, afirma a secretária municipal de educação, Marli Fernandes.

Neste ano, durante o período de formação continuada dos docentes, o secretário municipal de meio ambiente Sérgio Bobig orientou e fez demonstrações de como é feita a compostagem. “Em uma caixa plástica com orifícios para a entrada de ar, deve-se intercalar camadas de material orgânico, como restos de verduras e frutas, e de material seco, como serragem, palha ou grama. O processo de decomposição varia de 30 a 45 dias dependendo da temperatura. Algumas técnicas ainda preveem a inserção de minhocas, mas não é algo obrigatório”, explicou o secretário.

A aluna Maria Kamili Marinho da Silva, que está cursando o 5º ano na Escola Municipal Augusto Weyand, ficou surpresa com os benefícios da compostagem. “Eu nunca imaginei que ela fosse capaz de ajudar tanto o meio ambiente, já que retira o lixo da natureza e ainda nos permite ter uma alimentação saudável, com alimentos livres de agrotóxicos,” disse.

“Eu aprendi nas aulas que é essencial cada um fazer a sua parte, começando com medidas simples como a reciclagem do lixo e a economia de energia. Quando transformamos os resíduos orgânicos em adubo também ajudamos a evitar a poluição do solo e dos rios,” relata a aluna Julia Benjamin de Castro, do 5º ano da Escola Municipal Mateus Leme.

Compartilhe