Presidente da Cohapar garante regularização do Novo Horizonte

Pedido formulado pelo prefeito em exercício Junior da Femac em audiência com Jorge Lange nesta semana (Foto: Profeta)

{"autoplay":"false","autoplay_speed":"3000","speed":"300","arrows":"true","dots":"true"}

Um projeto de regularização fundiária irá contemplar cerca de duzentas famílias residentes em imóveis sem documento de propriedade no Jardim Novo Horizonte, em Apucarana. Elas residem há cerca de trinta anos em uma área de propriedade da Cohapar, que agora será doada ao município, atendendo solicitação feita na gestão do prefeito Beto Preto que, em contrapartida, fará a titulação dos imóveis até 2020.

A confirmação disso foi dada nesta semana, em Curitiba, ao prefeito em exercício Junior da Femac, em agenda com o presidente da Companhia Paranaense de Habitação (Cohapar), Jorge Lange. “Ele nos assegurou que o governador Ratinho Junior quer prioridade na regularização fundiária, para legalizar a situação de milhares de famílias paranaenses que se encontram nesta situação”, revelou Junior da Femac.

Lange anunciou que a área de cerca de quatro alqueires da Cohapar, no Jardim Novo Horizonte, será doada ao município. “De posse da área, o poder público municipal, com o apoio da Cohapar, procederá a regularização dos imóveis”, comentou o presidente da empresa estatal, acrescentando ainda que o Estado tem o maior interesse nesse processo.

LEGALIZAÇÃO – A doação do terreno e posterior regularização da área está sendo encaminhada para corrigir o processo de ocupação iniciado no final da década de 1.980, quando a gestão municipal construiu casas populares para famílias da cidade em terreno da Cohapar, sem a participação do governo. Atualmente, temos cerca de 150 mil lotes para regularização fundiária urbana no estado e queremos dar velocidade a esse processo, no qual se inclui este de Apucarana”, comentou Jorge Lange.

Conforme explica o prefeito em exercício, a regularização da documentação, com a transferência de titularidade dos lotes às famílias é aguardada há mais de três décadas. “Enfim, estamos conseguindo resolver esta pendência, com a ajuda da Cohapar e do governador Ratinho Junior”, assinala Junior da Femac.

“Em breve a Cohapar irá dar início aos trâmites necessários visando a transferência desta área ao Município”. A frase é do presidente da Cohapar, Jorge Lange, que no próximo virá a Apucarana para tratar pessoalmente deste processo.

Também participaram da audiência realizada em Curitiba, Paulo de Castro Campos, diretor administrativo e financeiro da Cohapar; o secretário de obras, Herivelto Moreno; e o procurador geral do município, Paulo Sérgio Vital.

Compartilhe