Apucarana aumenta subsídio e a produção de mudas de café

Município está disponibilizando 40 mil mudas aos produtores e reduziu custo do valor do milheiro, que passará a ser de apenas R$ 250. (Foto: PMA)

{"autoplay":"false","autoplay_speed":"3000","speed":"300","arrows":"true","dots":"true"}

Com o objetivo de ampliar o incentivo ao cultivo do café, o prefeito Junior da Femac determinou a redução do preço do milheiro de mudas. O valor, que já era subsidiado, passará neste ano de R$ 500 para apenas R$ 250, o que representa um terço do preço praticado no mercado.

O anúncio foi feito pelo prefeito durante visita ao Horto Municipal, localizado na Rua Antônio Melnick, na Vila Operária. Junior da Femac verificou, junto com a equipe técnica, o estágio de produção. “Para este ano estaremos disponibilizando aos agricultores 40 mil mudas, percentual 30% maior do que no ano passado. E para o ano que vem, já autorizei a produção de 100 mil mudas”, anuncia Junior da Femac.

O prefeito lembra que a partir de 2013, quando houve uma forte geada que dizimou 70% dos cafezais, o Município vem ampliando a produção e os incentivos na cafeicultura. “Além de aumentar gradualmente a produção visando a recomposição da área cultivada e do aumento do subsídio, repassamos em 2019 uma plantadeira para os produtores visando agilizar o plantio das mudas”, salienta Junior da Femac.

O prefeito destaca ainda que a cultura do café faz parte da história de Apucarana e foi um dos vetores da economia. “Além da questão econômica que é muito importante, estamos resgatando uma atividade que tem um significado muito especial para os apucaranenses, pois estamos cuidando de uma cultura que formou a nossa cidade”, reitera Junior da Femac.

Conforme Gerson José Santino Canuto, que está respondendo interinamente pela Secretaria Municipal de Agricultura, desde 2013 já foram repassadas cerca de 400 mil mudas aos produtores. “Junto com o Programa Terra Forte, o incentivo da cafeicultura é uma das estratégias para diversificar a produção, gerando renda e contribuindo para a fixação das famílias no campo”, salienta Canuto.

De acordo com o engenheiro agrônomo André Maller, da Secretaria Municipal de Agricultura, o Horto Municipal é um espaço onde são produzidas exclusivamente mudas de café, seguindo todas as normas exigidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). “O espaço é credenciado no RENASEM, Sistema Nacional de Sementes e Mudas, o que garante a produção de mudas de qualidade. Esse lote que está sendo preparado é da variedade IPR 100, que se adaptou muito bem à região e que possui uma tolerância significativa ao nematóide e à ferrugem”, explica Maller.

O técnico agrícola Luis de Faveri acredita que, por conta da redução no preço do milheiro, a procura pelas mudas deverá aumentar. “Com a redução, o valor ficou um terço do que é praticado nos viveiros particulares e isso vai impactar na procura, contribuindo com o resgate da cafeicultura no município”, avalia de Faveri.

Compartilhe