Surgem as primeiras propostas na revisão do Plano Diretor

Rediscussão do contrato de serviços com a Sanepar e a verticalização do Bairro 28 de Janeiro são sugestões abordadas em audiência pública   (Fotos – Profeta)

{"autoplay":"false","autoplay_speed":"3000","speed":"300","arrows":"true","dots":"true"}

Após várias reuniões setoriais, incluindo na Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Apucarana (Acia), Associação dos Engenheiros, Conselho Municipal de Saneamento, Câmara Municipal, Bairro 28 de Janeiro e com imobiliaristas, a Prefeitura de Apucarana promoveu na noite de terça-feira (13), a segunda audiência pública de revisão geral do Plano Diretor.

O evento realizado no Cine teatro Fênix reuniu representantes de diversos segmentos da sociedade, que tiveram oportunidade de se inscreverem para formular sugestões ou reivindicações sobre aspectos variados da cidade. Os trabalhos foram conduzidos pela Consultoria DRZ – Gestão de Cidades, empresa vencedora da licitação, com participação da equipe do Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan) e da Secretaria de Obras.

Na audiência pública de ontem foram colhidas propostas e sugestões, além de apresentados diagnósticos atualizados da cidade, que indicam cenários que são passíveis de mudança para o futuro. A terceira audiência pública de revisão do Plano Diretor de Apucarana deve ser convocada em breve, com foco na formatação de propostas.

Até agora, conforme relata o secretário municipal de obras, engenheiro Herivelto Moreno, as principais propostas surgidas são a verticalização do Bairro 28 de Janeiro, maior proteção da bacia do Rio Pirapó, rediscussão do contrato de concessão de serviços água e esgoto com a Sanepar, e a oferta de mais serviços digitalizados e mais eficientes aos contribuintes pela prefeitura. Também são apontadas a necessidade de construção de mais viadutos de transposição da linha férrea em regiões de maior densidade demográfica, e a expansão do setor de comércio e serviços para a região da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), que hoje concentra um grande número de universitários e que estão longe da área central da cidade.

Na audiência pública de ontem foram colhidas propostas e sugestões, além de apresentados diagnósticos atualizados da cidade, que indicam cenários que são passíveis de mudança para o futuro. A terceira audiência pública de revisão do Plano Diretor de Apucarana deve ser convocada em breve, com foco na formatação de propostas.

A primeira audiência havia sido realizada em março, no anfiteatro do Conselho Regional de Engenharia (CREA/Apucarana), tendo como foco principal a mobilização de toda a sociedade no sentido de que todos os segmentos organizados participem efetivamente deste processo de planejamento do desenvolvimento do município. Na ocasião se fizeram representar associações de classe, de entidades diversas, órgãos públicos, vereadores, secretários municipais e lideranças comunitárias.

O prefeito Junior da Femac voltou a destacar nesta terça-feira (13) a importância do Plano Diretor para nortear empreendimentos e o desenvolvimento de Apucarana. “Precisamos fomentar essa discussão, para que todos possam apresentar seus anseios e, enfim, ajudarem a definir qual é a cidade que queremos par aos próximos 10 anos”, avalia o prefeito.

O engenheiro Herivelto Moreno informa que até o mês de novembro serão realizadas diversas audiências públicas, inclusive nos distritos. “Neste processo, a prefeitura está atuando para garantir plena participação popular, nas alterações que serão feitas nesta revisão, que terá validade até 2030”, assinala Moreno.

Segundo Morneo, o Plano Diretor consiste num conjunto de leis que contemplam o desenvolvimento, zoneamento e perímetro urbano, uso e ocupação do Solo, edificações e sistema viário, além do código de posturas. A formatação do documento está sendo executada em conjunto pelo Idepplan e a Consultoria DRZ-Gestão de Cidades, empresa vencedora da licitação.

Atualmente encontra-se em vigor um plano diretor com uma versão parcialmente atualizada no ano de 2008, e que passou por alguns ajustes no ano de 2015.

 

Compartilhe