Apucarana acumula 525 casos de dengue 

Município está posicionado entre Londrina e Maringá que estão, respectivamente, com 13.626 e 6.763 casos 

{"autoplay":"false","autoplay_speed":"3000","speed":"300","arrows":"true","dots":"true"}

A secretaria de Estado da Saúde incluiu hoje (12) Apucarana entre mais de duzentos municípios que já haviam sido considerados em situação de epidemia da dengue. O boletim da pasta divulgado nesta terça-feira (12) aponta o município com 525 casos da doença e outros 303 em investigação.

Para se configurar uma epidemia de dengue, é necessário ter mais de 300 casos da doença por 100 mil habitantes. Com uma população estimada de 134.996 pessoas, Apucarana acaba de ultrapassar o índice para o município entrar situação de epidemia da dengue mas, felizmente, não registrou óbitos.

Entre as 8 regiões em que a cidade é dividida para monitorar e registrar os casos da dengue, as três com maior número de casos ficam em áreas anexas às saídas para Londrina e Maringá.  Com 74 pessoas confirmadas com a doença, a região do Jardim Ponta Grossa, Jardim Diamantina, Jardim Mercadante, Jardim do Vale, Vila Nakayama Kaori, Núcleo Habitacional Marcos Freire, Jardim Planalto, Núcleo Mathias Hoffman, Jardim Ouro Verde, Jardim Alvorada e Jardim Ouro Fino e Jardim Vale Verde lideram a estatística.

Logo depois vem a região Parque Bela Vista e Jardim Novo Horizonte com 29 casos, e em seguida o Distrito do Pirapó, com 19 casos e a Vila Reis, com 17 casos.

O diretor presidente da Autarquia Municipal da Saúde (AMS), Roberto Kaneta, observa há ocorrência de casos da dengue em todas as regiões da cidade. “Por isso, a população de uma forma geral precisa ajudar saúde pública a combater a doença, deixando seus quintais livres de criadouros do mosquito Aedes Aegypti, ou seja recipientes de acumulam água parada”, diz Kaneta.

De acordo com Kaneta, enquanto aguarda uma resposta a solicitação do município para Secretaria de Estado da Saúde realizar destinar um caminhão do Fumacê na cidade, a aplicação de inseticida que mata os mosquitos Aedes  está sendo realizada com uma bomba costal, realizando a aplicação do inseticida em áreas com maior incidência de casos.

O prefeito Junior da Femac diz que paralelamente ao enfrentamento do Covid-19, a saúde pública do município mantém diariamente uma força tarefa para combater a dengue. “As vistorias domiciliares pelos agentes de endemias se mantiveram ininterruptamente, com ações se estendendo inclusive nos finais de semana. Reitero meu apelo para que os apucaranenses nos ajude a eliminar os criadouros do Aedes Egypti e evitar que mais pessoas sejam acometidas por essa doença. Juntos podemos fazer a diferença”, conclama Junior da Femac.

O boletim semanal da dengue aponta 167.707 mil casos confirmados da doença no Estado, com 10.289 casos a mais que a publicação anterior, que trazia 157.418 mil confirmações.

O informe publicado nesta terça-feira (12) pela Secretaria da Saúde do Paraná também confirma dez óbitos por dengue. As mortes ocorreram entre os meses de fevereiro e abril e estavam em processo de investigação.

228 municípios estão em situação de epidemia; entraram para esta relação às cidades de Apucarana, Congoinhas, Planalto, Jundiaí do Sul e Foz do Jordão. Todos apresentam taxa de incidência proporcional acima de 300 casos por 100 mil habitantes
O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, enfatiza a necessidade da população mesmo em período de enfrentamento da Covid-19, não descuidar da dengue.

O monitoramento deste período epidemiológico da dengue começou em julho de 2019 e segue até julho deste ano. Da semana anterior para esta, o total de casos confirmados aumentou em 10,78%, com 15.320 casos a mais.

 

 

Compartilhe