Rotatória da “Avenida Central do Paraná” fica pronta em 30 dias

Obra foi iniciada nesta sexta-feira (13) no cruzamento com a Rua Dom Pedro II, no Jardim Ponta Grossa, nas imediações da capela mortuária (Foto: PMA)

{"autoplay":"false","autoplay_speed":"3000","speed":"300","arrows":"true","dots":"true"}

A Avenida Central do Paraná vai ganhar uma intercessão com rotatória. Trata-se de uma rotatória que começou a ser implantada nesta sexta-feira, no cruzamento da avenida com a Rua Dom Pedro II, no Jardim Ponta Grossa, nas imediações da capela mortuária.

Para quem trafega na região será preciso utilizar temporariamente duas rotas alternativas, por meio da Avenida América (Central do Paraná) e Avenida Minas Gerais (Avenida Central do Paraná).

A obra está sendo executada pela Tapalam Construções e Empreendimentos, que venceu a concorrência pública. O investimento será de cerca de R$160 mil, incluindo a rotatória com uma circunferência de 10 metros e uma pista de 8 metros de largura. A área da rotatória e das ilhas compreenderá 392,40 m², serão 499,90 m² de calçadas e 1.611,80 m² de pavimentação e recape.

A implantação da rotatória envolve a limpeza geral da área, remoção de postes, adaptação de galerias pluviais e uma nova sinalização vertical e horizontal no local e seu entorno. “Até agora os veículos que trafegavam pela Dom Pedro e Avenida Itararé tinham muita dificuldade em acessar a Avenida Central do Paraná e, a partir de agora, com a rotatória, esse problema estará resolvido”, avalia Mendes, do Idepplan.

O objetivo da prefeitura, através da Superintendência de Segurança, Trânsito e Transporte do Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan), é disciplinar e dar melhor fluxo ao tráfego. “Este trecho da Avenida Central do Paraná tem um tráfego intenso e a construção da rotatória acarretará na redução de conflitos, proporcionando conforto e segurança ao trânsito, para os comerciantes e moradores da região”, pontua o prefeito Júnior da Femac.

Além da grande densidade populacional da região, a região concentra a Praça CEU e a Unidade Básica de Saúde Bolivar Pavão, além da sede do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Ivaí e Região (Cisvir), capela mortuária e, em fase de construção, está a nova sede do Fórum Trabalhista de Apucarana, o que resulta num aumento significativo no fluxo de veículos.

Para a definição da intercessão em rotatória, a equipe técnica do Idepplan conduziu uma série de estudos. “Por falta de conhecimento, muitos sugeriram que fosse instalado um semáforo no local. Mas devido à existência da linha férrea, estava muito claro que não seria a solução, pelo contrário, traria ainda mais riscos para a população. A solução deveria trazer mais fluidez e a rotatória propicia isto”, explica o prefeito.

Definida a rotatória, um amplo estudo de levantamento de tráfego foi realizado para saber quantos e que tipos de veículos transitam pelo local diariamente. “Com este estudo foi possível dimensionar o tamanho e formato da rotatória, que estará adequada para suportar até o trânsito de ônibus e carreta”, comenta Carlos Mendes do Idepplan.

“Essa é mais uma marca da gestão Beto Preto, que desde 2013 vem planejando a cidade dos bairros para o centro”, frisa Junior da Femac.

O pároco da Paróquia Cristo Rei, Rui Fernando de Oliveira Santos faz uma avaliação positiva com relação à implantação da rotatória neste ponto. “Este projeto revela o olhar de cuidado da gestão pela comunidade. Uma obra bem pensada, que vai ajudar a salvar vidas”, avalia o padre.

Compartilhe