Municípios discutem plano da Metrópole Norte

Segunda audiência pública do plano, que visa desenvolver um grande corredor regional, foi realizada em Apucarana. (Foto: Josias Profeta)

{"autoplay":"false","autoplay_speed":"3000","speed":"300","arrows":"true","dots":"true"}

Representantes de vários municípios participaram na terça-feira (11/06), no auditório do Senac em Apucarana, da segunda audiência pública do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável da Metrópole  Norte. O encontro trouxe uma compilação das informações contidas nos relatórios de contextualização, que traçaram um cenário completo de áreas estratégicas dos municípios que integram o eixo Londrina/Maringá.

Entre os temas que foram abordados estão os resultados da análise das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças trabalhadas nas oficinas de contextualização, além das pesquisas de origem e destino de cargas transportadas e as análises do comportamento comercial da região. Com o diagnóstico aprovado, a próxima etapa consistirá na construção dos cenários de desenvolvimento possíveis para os 15 municípios que integram o eixo.

O prefeito de Apucarana, Junior da Femac, enaltece a proposta do governo em promover este estudo. “Nossa região é rica em desenvolvimento econômico, apesar de ser ainda jovem com 80 anos em média. Cabe aos agentes políticos, planejar e fomentar a união e o crescimento sustentável nesse eixo, em consonância com os segmentos organizados da sociedade. Por isso, a importância de abrir essa discussão acerca das ações e metas apontadas nesse diagnóstico”, argumenta Junior.

A partir de agora, segundo o prefeito, deste trabalho deve surgir um planejamento para as próximas décadas, alavancando o desenvolvimento de Apucarana e de toda a região. “O foco deve ser a melhoria da qualidade de vida de toda a população do eixo, ou seja, das quinze cidades. E, na área econômica, o plano buscará unir as cidades em torno de objetivos comuns, romper barreiras e criar soluções eficientes, visando prospectar novos empreendimentos”, avalia Junior da Femac, que cumpre agenda em Curitiba e na reunião da noite de terça-feira esteve representado pela equipe técnica do Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan).

O principal objetivo do plano é desenvolver um grande corredor, unindo as cidades de Arapongas, Rolândia, Cambé, Londrina, Ibiporã, Jataizinho, Apucarana, Paiçandu, Maringá, Sarandi, Marivalva, Mandaguari, Jandaia do Sul, Cambira e Mandaguaçu. São municípios situados ao longo das BR-369 e BR-376, concentrados em uma área de 6.225 quilômetros quadrados, somando 1,5 milhão de habitantes e um PIB de R$ 35 bilhões.

O Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável da Metrópole Paraná Norte é um projeto do Governo do Paraná, com o apoio do Banco Mundial. Participam do trabalho diversas secretarias estaduais, além do Consórcio Cobrape-Urbtec que foi contratado para elaborar o plano.

Compartilhe