Apucarana recebe Projeto Esporte para Toda Vida

Atividades esportivas monitoradas e gratuitas beneficiam crianças, adolescentes e idosos em quatro polos distribuídos por várias regiões da cidade
(Fotos: Profeta)

Atletismo, basquetebol, futsal, futebol, handebol, voleibol, ginástica funcional e ginástica para a terceira idade: estas são as modalidades esportivas contempladas pelo “Projeto Paraná Mais Esporte – Esporte para Toda vida”, que beneficia cem pessoas, distribuídas em quatro grupos etários, com atividades monitoradas e inteiramente gratuitas.

O projeto é desenvolvido pela secretaria de Estado do Esporte e do Turismo (SEET) e pelo Instituto Paranaense de Ciência do Esporte (IPCE), e tem apoio da Prefeitura de Apucarana e da secretaria municipal de Esportes e Juventude. As atividades esportivas realizam-se na Arena Multiuso, no Centro da Juventude, no Ginásio de Esportes Gerson Ferreira Chagas (Caveirão); também na Praça CEU, no Complexo Esportivo José Antônio Basso (Lagoão) e no Lar São Vicente de Paulo.

O equipamento usado nas práticas esportivas é gratuito, bem como os monitores, pagos pelo Estado. “A ideia central do projeto é promover e ampliar a prática esportiva, tanto a recreativa, de lazer, quanto a de alto rendimento”, explica a secretária municipal de Esportes Jossuela Pinheiro. “E ao incentivar essas modalidades, abrimos uma oportunidade para que um novo talento possa se revelar, porque incentivamos crianças e adolescentes”, diz.

Entre as crianças de 6 a 10 anos, são 30 beneficiadas que têm atividades 6 horas por semana. Na faixa etária entre os 11 e 14, os 30 beneficiados têm 4 horas semanais despendidas, sempre no contraturno escolar, em práticas desportivas; entre os 15 e 17 anos, voltam a ser 6 horas e são 20 os beneficiados com o programa. E, por fim, o “Esporte para Toda Vida” atende 20 pessoas com idade acima de 60 anos, no Lar São Vicente de Paulo, com 9 horas semanais de atividades.

Qualidade de vida Márcia Preto, responsável pelo projeto Esporte para Toda Vida na secretaria de Esportes e Juventude, afirma que as práticas levadas aos idosos têm caráter lúdico e recreativo. “Trabalhamos em especial a coordenação motora. Os exercícios que eles fazem, sentados, são bons para o corpo, claro, mas também ajudam, e muito, a cabeça”, afirma. Segundo Márcia, a equipe conseguiu adaptar atividades aos diferentes níveis de comprometimentos motores dos idosos. “O que importa, sobretudo, é melhorar a qualidade de vida deles. Para isso nós levamos não apenas movimento, mas atenção, alegria, carinho e muitos sorrisos.”

Para os idosos do Lar São Vicente de Paula, as atividades levadas pelo acadêmico Diego Córdova, dentro do projeto Esporte para Toda Vida são mais uma maneira de receberem atenção, sorrirem, terem algo diferente para fazer e, claro, mexerem articulações e músculos. “Eles dispõem, claro, de trabalho fisioterapêutico, mas para muitos quanto mais se mexerem melhor”, explica a psicóloga Karina Cavequia. Ela, que trabalha no Lar há três anos, conta que alguns dos idosos gostariam de ter mais coisas para fazer e, por isso, as atividades do projeto vieram muito a calhar.